Degolarratos | Enzo Moscato

Código: DNYJA6NYU
R$ 30,00
Comprar Estoque: Disponível
* Este prazo de entrega está considerando a disponibilidade do produto + prazo de entrega.

Degolarratos

Autor: Enzo Moscato
Tradutora: Anita Mosca

96p.| 2016 | 13 x 18 cm 
ISBN: 978-85-66786-39-2
 

Degolarratos (Scannasurice) é uma peça do dramaturgo italiano Enzo Moscato, encenada poucos anos após o terremoto de Irpinia, de 1980, e constitui-se como metáfora do desmoronamento não apenas físico, mas também humano e social, que atingiu Nápoles e toda a sua cultura milenar na década que se seguiu. Na visão de Enzo Moscato, intitulado hoje “poeta da cena italiana”, o trauma coletivo do terremoto provoca um corte, seco e definitivo, com a língua, a música, a cultura e a identidade napolitana do passado.

Dessa maneira, o Terremoto e Nápoles se tornam elementos altamente simbólicos e universais na peça, contando não apenas o trauma físico e real desse microcosmo, mas representando também, sobretudo, um derruimento moral que a dramaturgia vai construindo e alargando em macrocosmo. O Terremoto na peça ganha a força corrosiva da homologação global, e Nápoles representa o retrato de uma cidade genérica, que se conforma aos desastres provocados pela calamidade natural.

Por meio da peça, o autor propõe um novo uso da língua napolitana, isto é, anti-musical e anti-tradicional, assim como uma Nápoles anti-bandolim e anti-cartão postal, como se, após o choque geral, não fosse mais possível conduzir a língua como os mestres do passado. A dramaturgia moscatiana representa um dos primeiros sinais de ruptura, profunda e irreversível, com a consagrada “Tradição Napolitana”.

Degolarratos é um monodrama, cujo personagem é um travesti que vive em um subterrâneo desolado, nos Quartieri Spagnoli. A estrutura dramatúrgica da peça alterna momentos distintos nos quais o protagonista, o “Degolarratos”, dialoga com os ratos, metáfora dos napolitanos, os quais, perante ao real sismo de 1980, não se uniram para reconstruir e curar as feridas da cidade e da sociedade. “Degolarratos” dialoga também com um estudante de filosofia que vive no andar de cima, cuja presença se dá apenas por evocação, e que representa o elemento positivo da arquitetura dramatúrgica, como uma possibilidade de redenção futura. Em outros momentos, extremamente visionários e oníricos, são professadas soluções impiedosas ao câncer que apodrece a cidade.

Esta tradução, inédita no Brasil, visa preencher a lacuna e dar a conhecer a obra de um dos dramaturgos mais originais do panorama artístico-teatral europeu, cuja proposta é marcada por uma galáxia febril e caótica de línguas e de invenções cênicas, que, desde do início, o colocaram sob a atenção do público e da crítica internacional. Além da peça, o livro traz uma entrevista inédita com o autor, realizada pela atriz e tradutora do livro Anita Mosca.


Sobre Enzo Moscato: Enzo Moscato é dramaturgo, poeta, diretor, chansonnier e ator italiano. Nasce em Nápoles em 1948 e forma-se em Filosofia na Universidade Federico II. Na década 70 alterna a atividade teatral à atividade acadêmica. Em 1982 estreia sua primeira dramaturgia adaptada  para a cena “Scannasurice” (Degolarratos). Desde então, escreve e interpreta sua proposta de teatro autoral, marcada por uma galáxia febril e caótica de línguas e de invenções cênicas, que desde do início, o impuseram à atenção do público e da crítica italiana e internacional. Sua trajetória artística é considerada entre as mais originais do panorama artístico-teatral europeu, consagrada por numerosos e prestigiosos prêmios e reconhecimentos entre os quais lembramos apenas: Prêmio Riccione/Ater 1988 (Itália); Prêmio Ubu 1988 e 1994 (Itália); Prêmio Idi 1988 (Itália); Prêmio Crítica Italiana 1991 (Itália); Prêmio Internacional do Festival de Ostankino 1994 (Russia). É autor de cerca 50 dramaturgias originais, publicadas pela Ubulibri e outras editoras. Os seus textos foram traduzidos em alemão, espanhol, francês, tcheco e português. O eclético artista é também intérprete dos CD “Embargos”, “Cantà”, “Hotel de l'Univers”, “Toledo Suíte” e solista hospede de “Fore Paese” de Maria Pia De Vito. No cinema tem trabalhado como roteirista e como ator com os diretores: Mario Martone, Pappi Corsicato, Raoul Ruiz, Stefano Incerti, Antonietta De Lillo, Pasquale Marrazzo, Massimo Andrei. Nos últimos anos tem ministrado cursos de dramaturgia na Universidade dos Estudos de Salerno e na Universidade Suor Orsola Benincasa de Nápoles.

R$ 30,00
Comprar Estoque: Disponível
Pague com
  • PagSeguro
  • Depósito Bancário
  • MercadoPago
  • Bcash
  • Paghiper
  • PayPal
Selos
  • Site Seguro

© Todos os direitos reservados. 2017