As máquinas celibatárias | Michel Carrouges | co-edição com n-1 edições

Código: 7Q8R7HMZ8
3x de R$ 18,00
R$ 60,00 R$ 54,00
Comprar Estoque: Disponível
    • 1x de R$ 54,00 sem juros
    • 2x de R$ 27,00 sem juros
    • 3x de R$ 18,00 sem juros
  • R$ 54,00 PagSeguro
  • R$ 54,00 Deposito
  • R$ 54,00 Mercado Pago
  • R$ 54,00 Boleto Bancário
* Este prazo de entrega está considerando a disponibilidade do produto + prazo de entrega.
As máquinas celibatárias
 

Michel Carrouges
Tradução de Eduardo Jorge de Oliveira


288 p.| 2019 | 16 x 23 cm 
ISBN: 978-85-66786-96-5

 

As máquinas celibatárias é um livro chave para entender a sobrevivência dos mitos no universo das máquinas. Editado originalmente em 1954, o livro ganhou uma edição ampliada em 1976, base para a presente edição brasileira. Michel Carrouges, ao estabelecer uma relação inédita entre Marcel Duchamp e Franz Kafka, criou um catálogo de máquinas literárias. Esta obra é uma das primeiras leituras conceituais da obra de Marcel Duchamp, La mariée mise à nue par ses célibataires, même ou simplesmente O grande vidro (1915-1923), na qual Duchamp é surpreendentemente um fio condutor para a crítica literária. Mobilizado essencialmente por essa obra e mantendo-a como fio condutor, Carrouges cataloga um conjunto de máquinas impossíveis, inúteis, delirantes ou com dispositivos aparentemente incompreensíveis. Trata-se de um modo bem apropriado para situar a literatura no final do século XIX até meados do século XX. O repertório literário que o leitor encontrará neste livro abrange Franz Kafka, Raymond Roussel, Alfred Jarry, Guillaume Apollinaire, Jules Verne, Villiers de l'Isle-Adam, Irène Hillel-Erlanger, Adolfo Bioy Casares, Lautréamont e Edgar Allan Poe. A edição contém ainda uma breve correspondência entre Michel Carrouges e Marcel Duchamp. Em uma das cartas, Duchamp admira a leitura do autor pela súbita e clara aproximação feita entre o dispositivo do Grande vidro e aquele encontrado na Colônia Penal, de Franz Kafka.

 

Sobre o autor: Michel Carrouges (Poitiers, 1910 – Paris, 1988) é o nome literário de Louis Couturier. Ele participou brevemente do surrealismo francês, pois foi convidado e expulso por André Breton, que não estava de acordo com suas tendências místicas e cristãs. No entanto, Carrouges é autor de diversos livros em crítica literária, ficção científica e romances. Da sua obra em crítica destacamos A mística do Super-Homem (La Mystique du surhomme, Gallimard, 1948), André Breton e os conceitos básicos do surrealismo (André Breton et les Donnés fondamentales du surréalisme, Gallimard, 1950), As máquinas celibatárias (Les machines célibataires, Arcanes, 1954), Kafka contra Kafka (Kafka contre Kafka, Plon, 1962), Máquinas: patafísicas do além (Machines: pataphysique de l’au-delà, 1985).

 
3x de R$ 18,00
R$ 60,00 R$ 54,00
Comprar Estoque: Disponível
Pague com
  • PagHiper
  • Mercado Pago
  • Depósito Bancário
  • PagSeguro
Selos
  • Site Seguro

Maíra Nassif Passos - CNPJ: 17.615.842/0001-50 © Todos os direitos reservados. 2019